Trabalhadores do ramo químico aderem ao Dia Nacional de Luta contra a reforma trabalhista

Trabalhadores do ramo químico aderem ao Dia Nacional de Luta contra a reforma trabalhista

Nesta quinta-feira (14), os trabalhadores do ramo químico aderem ao Dia Nacional de Luta e Protestos. O movimento vai reunir trabalhadores da indústria em um protesto contra os ataques aos direitos trabalhistas, as privatizações das estatais e o combate à corrupção.

O Sindiquímica vai lançar uma cartilha sobre que trata sobre a Reforma Trabalhista e todos os seus efeitos contra os direitos dos trabalhadores/as, numa linguagem simples e de fácil compreensão. A cartilha foi elaborada pela Confederação Nacional do Ramo Químico – CNRQ/CUT

Junto com o lançamento da cartilha, o Sindiquímica vai apresentar o comitê setorial que organizará a coleta de assinaturas para o projeto de lei de iniciativa popular pela revogação da reforma trabalhista, lançado pela CUT, no 23º Grito dos Excluídos.

Negociação da campanha salarial

Às 15h, na Federação das Indústrias da Bahia (FIEB), no Stiep, Sindiquímica e Sinpeq sentam para mais uma rodada de negociação da campanha salarial. O Modus Vivendi ocorreu na segunda-feira (11), às 16h, no prédio do sindicato, no Tororó. Nessa reunião, os sindicatos patronal e laboral definiram as regras das negociações durante a campanha salarial dos trabalhadores das empresas petroquímicas. Foi garantido, por exemplo, setembro o mês da data base e assegurada a prorrogação da Convenção Coletiva de Trabalho até o fim do processo negocial. Além disso, o patronato se comprometeu a não fazer demissões nesse período.

e-max.it: your social media marketing partner